LiSimplex – Simplex Solver – Venda do Projeto

Bom dia a todos,

A partir do dia 20/12 estarei disponibilizando o código fonte do projeto LiSimplex para venda. O LiSimplex está na versão 1.0 beta 4 e não estou vendo possibilidade para continuar o seu desenvolvimento. Desse modo entregarei o código fonte e a autorização formal para a transferência de posse do projeto. Todos aqueles que tiverem interesse, poderemos abrir uma negociação.

Como todos podem ver no post que escrevi há um tempo atrás (clique aqui para ver o post), o LiSimplex é uma plataforma genérica de solução do método simplex desenvolvida em Java. Por ainda estar numa versão inicial o projeto ainda não possui nenhum grande recurso. Entretanto, sua base de resolução foi otimizada de modo a aceitar variados tipos de entrada. Ainda não foi aplicado nenhuma interface gráfica no projeto, mas a interface de negócio está preparada para suportar essa funcionalidade.

Qualquer outra informação, deixe sua manifestação através de um comentário que entrarei em contato.

Gerenciando Recompensas e Bonificações – A Lei do Velho Oeste

Gerenciando Recompensas e Bonificações Dentro do Planejamento Estratégico

Uma das maiores manobras estratégicas dos Estados Unidos para manter a ordem e a segurança na conquista da região oeste daquele país foi montar uma estrutura que contava com o governo da nação (centralizada no leste, naquele tempo) e grandes comerciantes empreendedores da nova região em plena conquista. Essa estrutura mantinha um grande número dos famosos xerifes e soldados do velho oeste. Seu único objetivo era manter a paz nas pequenas cidades, afastando bandidos e arruaceiros daquelas regiões. Para os principais bandidos, a guarda oferecia as famosas recompensas aos civis para a captura e prisão desses marginais montadores de cavalos. Foi então que surgiu naquela região os famosos caçadores de recompensas, homens que viviam de prender esses bandidos e faturar um bom dinheiro na forma de ouro, fama, mulheres, bebidas… Mudou muito do velho oeste para hoje?

A maioria das grandes empresas recompensa funcionários com bônus, abonos e várias outras formas de recompensas para que os mesmos possam trabalhar com mais qualidade visando o lucro em seus proventos. Trabalhar visando ganhar mais sempre fez parte da natureza do homem capitalista. E empresas que querem tirar proveito disso criam estratégias para angariar maior desempenho dos funcionários de forma “natural” para funcionários-zumbis por dinheiro.

Tentando ser objetivo e otimizado, todo projeto estratégico de recompensas deve conter inúmeras formalizações de distribuição de bonificações. Estipular um plano de análise de desempenho metrificando-os é uma das formalizações mais utilizadas. Instituições bancárias e empresas de telefonia, por exemplo, definem metas para áreas de gerência e operacional com intuito de metrificar e aumentar o desempenho de cada um dos funcionários dessas empresas.

Porém, interpretar esses resultados e bonificar – via dinheiro, bônus, etc. – pode não ser o essencial para alavancar o modelo operacional da organização. Esse processo envolve vários outros agentes que são considerados determinantes para o sucesso desse plano de recompensas. Um dos principais motivos para o fracasso desse plano é a não aceitação por parte dos funcionários da instituição. Esse é o ponto! Não é somente cobrar para que as metas sejam batidas e com isso conseguir dar a recompensa para o funcionário dedicado. Há nesse processo uma necessidade de indagar se as metas são realmente atingíveis ou ainda, se elas não ferem nenhuma integridade moral do executor.

De um modo geral, definir gratificações não é somente dar ao executor que cumpriu suas metas o que ele merece. Um novo processo estratégico deve surgir para verificar a real necessidade das metas e definir, se for o caso, quais são factíveis ou não. Contando com o auxílio das pessoas que vão executar, o gerente estratégico poderá definir melhor o escopo de atuação da sua equipe e com isso formalizar metas melhores e reais. Basta ter comunicação dentro da organização.

Pra finalizar, deixo um vídeo bastante interessante que vi no vimeo do Fábio Akita. Como a ciência pode interferir  na motivação e criação de valores (recompensas e/ou punições) nas empresas do século XXI? Assistam!

TED – Dan Pink – Motivation – Legendado from Fabio Akita.

Google Wave – Sensação ou Ilusão?

Google Wave Logo

Google Wave Logo

Hoje recebi um convite para o Google Wave, alegre e intusiasmado. Me impressiona muito a minha própria animação dos últimos dias para ganhar essa conta e desfrutar da mais nova sensação do Google. Nos dias anteriores, notei que também não era somente eu que estava querendo experimentar esse novo serviço. Mas será que o entusiasmo é totalmente válido nessas horas de usar novos e “inovadores” serviços pela internet?

No twitter, muitas, mas muitas pessoas estão correndo feito loucas atrás de um invite milagroso do Google Wave. Para saber então como era essa busca insaciável por um invite, resolvi fazer um teste de comportamento com os twitteiros de plantão. Escrevi um tweet dizendo que tinha dois convites para distribuir para a galera que me seguisse. Não deu outra! Em menos de minutos, a galera começou a me seguir e mandar emails via mention. Pena que todas depois cancelaram seus following‘s 😦 . Interessante, não?

Li notícias de pessoas que estavam vendendo convites no eBay. Não acredita? Veja então aqui as mais de 300 opções para compras de invites ou contas com o Google Wave ativado. Poxa! Meu cartão de crédito internacional está ali, parado, servindo de parede para aranhas montarem suas teias. Por que não matar minha anciedade e ir logo creditando alguns dólares na conta de um vendedor desses para ter em troca uma super conta no Google Wave? Todos deveriam fazer isso, pelo menos muita gente mataria a vontade e não acabaria roendo todas as unhas em busca de um convite.

Enfim, quem não quer participar da maior sensação do momento? Eu quero. Queria na verdade, pois hoje já comecei a participar. Digitando minha senha pessoal na página de login, pensei: “Legal, agora eu estou na crista da Wave, legal!” O site abriu. Sabe aquelas cenas de filmes que a imagem está toda ofuscante e vem escurecendo pouco a pouco até formar uma imagem nítida e concreta? Foi o que aconteceu comigo. Cliquei ali, cliquei aqui, vi as configurações. Humm! “O que há de mais nisso?” Certamente, o Google Wave ajudará bastante na comunicação de equipes de pessoas. Mas de nada adiantou a minha expectativa. Olhar uma aplicação como o Google Wave é como olhar a sua conta no Gmail. Naturalmente, a reação seria normal. “Estou entrando no Gmail porque recebi um novo email da área de marketing informando que todos os funcionários da parte adminstrativa terão de participar da reunião de sexta.” E agora, como seria no Google Wave? “Ah! Irei verificar a Wave de comunicação do pessoal de marketing, me informaram que há uma nova mensagem informando da reunião de sexta. Estou super empolgado para ver meu Google Wave!” Bom, lamento, mas não teria essa reação daqui uns dias quando isso tudo banalizar.

Falar que Google Wave é inédito, é inovador, é cool (como diz a minha prima) não seria justo com todas as outras empresas que implementaram sistemas parecidos. Por exemplo, um colega meu me informou que uma solução da 37Signals chamada Campfire (clique aqui para ver o site da Campfire). Olhando por cima, o tipo de mensagens e a maneira de comunicação se parece muito com a do Google Wave. Muitas outras ferramentas de trabalho cooperativo e corporativo se comportam de maneira semelhante à do Google Wave. Seria isso então uma revolução na maneira de se comunicar? Pelo menos agora podemos contar com mais um ótimo serviço do Google. Um serviço que há muito tempo faltava na lista de serviços do Google. Hoje, pra mim, a “inovação” do Sistema Operacional Mobile Android foi bem mais emocionante e inovador que o Google Wave.

Seria então Inovação, sensação ou ilusão? Eu já tenho a minha resposta. E a sua? Deixe um comentario 🙂

Arquitetura Extensível da Camada de Apresentação em Flex – Uma Abordagem WebDesktop

Partindo da premissa de desenvolvimento de uma aplicação de interface gráfica extensivel e sensível ao contexto do usuario implementada sobre a noção de Web Desktop, o objetivo dessa proposta de projeto é demonstrar uma ideia de como seria uma arquitetura para a solução de alguns problemas e restrições de projetos enfrentados durante a produção de uma solução de aplicação.

Diagrama Base

Diagrama Base

Abaixo segue a explicação de objetivos e responsabilidades de cada componente desta arquitetura:

Continuar lendo

Enviando Mensagens Assíncronas Via JMS no Grails usando Spring

Bom, alguns dias atrás fiquei um tempinho estudando como enviar mensagens assíncronas via JMS no grails. Instalei o plugin jms mas não fiquei satisfeito com os resultados. Então resolvi entender como o Spring poderia me ajudar a resolver esse problema.

Acredito que, com o passar das pesquisas, o caro leitor já está por dentro de como funciona toda a arquitetura por trás do JMS. Mas, para refrescar a cabeça, segue abaixo um diagrama com o escopo geral do que realmente deve ser criado para que o envio/recepção de mensagens funcione:

Componentes da Arquitetura JMS

Componentes da Arquitetura JMS

Para mais informações sobre o escopo e funcionalidade de cada um desses componentes, acesse este link para ir diretamente à pagina do produto.

Voltando ao assunto. Como o Grails tem suas bases no Spring, usaremos o mesmo para fazer o controle de injeção de dependências de todos esses componentes.

A solução é simples e robusta! Vamos aos passos:

Continuar lendo

WeMake Group – Lançamento – Aqui nós fazemos sim…

Boa tarde a todos.

Depois de uma longa discussão de 30 minutos, a equipe de desenvolvimento em que trabalho fechou um acordo entre seus membros (o que me inclui) de criar um blog para disponibilizar ao público todas as experiências que passamos. A iniciativa recebeu o nome geral de WeMake Group. Partimos do pressuposto que a equipe tenta, de todas as maneiras, desenvolver habilidades tanto técnicas quanto na área de negócios para promover o desenvolvimento de estratégias simples e robustas. Acompanhe nossos movimentos.

Criamos dois blogs:

WeMakeIt: (www.wemakeit.wordpress.com) Blog técnico de desenvolvimento voltado para publicação de tópicos de caráter técnico. Informática, gestão de TI, processo de desenvolvimento… Tudo entra aqui.

WeMakeMoney: (www.wemakemoney.wordpress.com) Blog usado para postagens na área de negócios, startup, marketing, financeiro, vendas… Qualquer coisa que envolva montar uma empresa ou um produto de sucesso.

Alem do Twitter, é claro:

WeMakeKnown: (http://twitter.com/wemakeknown) Twitter da equipe. Acompanhe as novidades pelo twitter. Nele, a equipe promoverá discussões, disponibilizará hotnews da área, além de, é claro, conter atualizações em tempo real dos nossos blogs.

Acompanhe mais essa iniciativa. Promoveremos o avanço da critica pessoal sobre todos os assuntos que tangem o empenho e a dedicação de um grupo dedicado e sintonizado. Esperamos sua contribuição.

Gostou da iniciativa? Achou péssimo? Temos que melhorar? Deixe um comentário…

Até mais!!!